domingo, 4 de março de 2012

Videochat sobre adoção de animais

A veterinária da SMPA tira dúvidas e fala sobre importância da adoção de animais abandonados. No vídeo, a jornalista Letícia Murta e o repórter Anderson Rocha.


quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Cão resgatado no Caiçara precisa de ajuda!


Bom dia, gente! Esse meninão do cartaz aí em cima é o Tigrão! Ele foi resgatado ontem com a ajuda de protetores! O levamos para uma clínica veterinária! Ele está clinicamente bem! Precisa agora de um lar! Vamos ajudá-lo? Fizemos uma vaquinha para facilitar as doações para preparação deste cão para a adoção! Toda e qualquer ajuda será bem vinda! caso queira doar por depósito bancário, basta ligar para o telefone do cartaz! Se quiser imprimir e colocar na clínica onde seu cão frequenta, também será muito bem vindo! Quanto mais ajuda, melhor! Muito obrigada pela atenção, pessoal! 

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Natal sem fome para os peludos

Amar os animais é muito importante. Mas fazer algo realmente palpável é muito mais. Muita gente tem vontade de ajudar e não sabe como. Em Belo Horizonte, temos cerca de 38 mil cães e gatos abandonados pela cidade. E o número só cresce, não só pela multiplicação dos animais que se reproduzem, mas também pelo abandono.

O agravante é que a cidade não possui um abrigo da prefeitura e as poucas pessoas que se arriscam a abrigar os animais em suas casas passam por dificuldades financeiras  constantes. Essa situação triste que já pude presenciar de perto por tantas vezes é o que me move para a ação. Para quem não sabe, sou protetora de animais há mais de dez anos. Sou ativista, mas não sou vinculada a nenhuma organização ou entidade. Ajudo alguns locais da maneira que posso. E neste Natal eu, Letícia Murta, resolvi fazer uma ação para arrecadar ração para os animais dos abrigos e, com isso, aliviar o peso das costas daqueles que têm coragem de modificar suas vidas abrigando os peludos.

Os abrigos, em sua maioria, nada mais são do que o fundo da casa de pessoas humildes que, teoricamente, não poderiam arcar nem com as próprias despesas. Porém, são pessoas com o coração muito maior do que a capacidade de ajudar. E, por isso, esses protetores estão sempre com dificuldade financeira. Com 30, 40, 50 animais, entre cães e gatos, a falta mais triste é a de alimento. E como essas pessoas contam, basicamente, com a solidariedade de quem tem amor aos animais, é muito importante ajudar.
Fica aqui o meu convite para que participem comigo. Eu montei uma vaquinha virtual, pois irei comprar as rações por um preço melhor por um distribuidor. Mas quem quiser doar rações, produtos de limpeza, remédios, cobertinhas, caminhas e jornais, pode levar por conta própria também. De acordo com a quantidade de ração que eu conseguir, doarei para mais de um abrigo. Mas, por enquanto, não vou falar o nome dos outros para não gerar expectativa, já que não sei se conseguirei alimento para todos. O primeiro abrigo da lista é o da Rosângela, no bairro Vera Cruz. Quem quiser, pode entrar em contato direto com ela pelo telefone  3483-6273 ou pelo e-mail abrigorosangela@hotmail.com. Ela fica no bairro Vera Cruz, mas não é legal divulgar o endereço completo, pois muita gente acha que abrigo é depósito de cães e abandona filhotes na porta.  Eles têm perfil no Facebook para quem quiser conferir. 

Quem quiser entrar na vaquinha pode contribuir por aqui
Fica também meu convite para quem quiser ir no dia da distribuição. Vai ser uma festa com muitos rabinhos abanando. 
Claro que ao final da ação será postada uma prestação de contas e muitas fotos dos peludos.
Forte abraço a todos.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

QUARTA-FEIRA, 07 DE SETEMBRO: MANIFESTAÇÃO em busca de alternativas ao comércio de animais no Mercado Central


Na próxima quarta-feira, dia 07 de setembro, das 11h às 16h, nas portarias do Mercado Central, o Movimento Mineiro pelos Direitos Animais, em parceria com diversas instituições de proteção e simpatizantes da causa animal, promoverá ato pacífico pela busca de alternativas ao comércio de animais no Mercado Central. O tema, que é recorrente, há anos vem sendo pautado por associações e organizações não governamentais e, no entanto, ainda não recebeu a devida atenção por parte dos dirigentes do Mercado Central e do poder público. A manifestação pretende, além de sensibilizar os comerciantes do espaço, conscientizar o público que por ali passa diariamente e a população da capital para a importância em se discutir o assunto, com a busca de soluções que visem o bem-estar dos animais, que ali permanecem expostos à venda, em condições degradantes.


Veja, abaixo, carta encaminhada ao presidente do Mercado Central.


MANIFESTO NOVO TEMPO: em busca de alternativas ao

comércio de animais no Mercado Central


Aos

Comerciantes de animais e à administração do Mercado Central de BH


É inegável o valor de seu laborioso trabalho para a economia, a cultura e o turismo da cidade, e, principalmente, para que o nosso querido Mercado Central seja acolhedor e prazeroso. É hora de festejar: passaram-se 82 anos desde que vocês iniciaram esta bela história de muita luta. Muitas transformações ocorreram, é claro! E a coragem de assumir as mudanças tem permitido que o espaço evolua e se torne cada vez melhor. Afinal, é isso que todos desejamos: que o Mercado prospere, que nos receba para nosso lazer e compras e que traga pão e alegria para os que aí trabalham.

É crendo neste nosso interesse comum e na sua disposição de refletir sobre as mudanças necessárias, que vimos propor um diálogo respeitoso e aberto na busca de soluções sustentáveis e éticas para o comércio de animais no Mercado. Ou seja, soluções que preservem a manutenção das famílias que vivem desse comércio, mas que lhes permitam trabalhar de maneira mais saudável e digna, sem se mancharem com o sofrimento dos pequeninos que lhes servem de sustento.


A convivência com a degradação tende a embrutecer nosso espírito, levando-nos a achá-la normal. Certamente não é este o interesse dos trabalhadores que comercializam animais no estabelecimento. Com certeza, eles prefeririam que os animais estivessem sadios, fortes, alegres, com espaço para tomar sol, andar, correr, pular, esticar, respirar ar ventilado, receber afagos. Enfim, que gozassem do que é essencial para o bem-estar de qualquer ser.


Até que sejam vendidos, eles passam dias a fio em desconforto sobre aramados, no exíguo espaço da gaiola utilizada, ao mesmo tempo, para comer, beber, deitar, urinar e defecar. Aliás, este é outro ponto crucial que, por certo, incomoda comerciantes e frequentadores do Mercado e que clama pela nossa coragem de buscar soluções urgentes, a higiene. Enquanto em uma ala encontra-se o comércio de animais e, com este, mau cheiro, sangue, urina, fezes, vermes, pulgas, carrapatos, atrativos para ratos e insetos, nas alas contíguas estão alimentos como frutas, verduras, legumes, cereais, carnes, laticínios, produtos de lanchonete e restaurantes.

A incompatibilidade destes dois tipos de comércio em um mesmo local é gritante e denigre a imagem do Mercado e de nossa Capital perante aos visitantes. Não raro, vemos turistas dizerem que ficaram com nojo de se alimentar no Mercado ou que ficaram constrangidos ao passar pelo corredor de animais.

Neste contexto, vimos propor aos comerciantes, maiores interessados no sucesso do Mercado, a busca de soluções para o comércio de animais e nos oferecemos para participar com sugestão de alternativas viáveis para todos - comerciantes, frequentadores e/ou protetores de animais.


Vamos fazer a diferença agora para merecer um futuro mais compassivo e justo!


Atenciosamente,


MOVIMENTO MINEIRO PELOS DIREITOS ANIMAIS

“Liberdade aos animais, ainda que tardia!”

movimentomineiro@gmail.com

10 DE SETEMBRO: FEIRA DE ADOÇÃO



quinta-feira, 1 de setembro de 2011

1ª Cãoscientização Unificada reúne ONGs de proteção animal da capital mineira


Evento busca a troca de experiências e conscientização sobre temas de proteção aos animais
Assunto corrente na mídia nacional, apoiado por grandes nomes do entretenimento, como Xuxa e Betty Gofman, a conscientização sobre cuidados e proteção animal será o tema central da Cãoscientização Unificada. A iniciativa conta com a participação de ONGs envolvidas com a temática e promoverá diversas ações destinadas ao esclarecimento de questões ligadas à causa animal. Na ocasião, o público poderá levar seu bicho de estimação e concorrer a diversos brindes (vide regras do evento). O evento acontece no próximo domingo, dia 4, das 9 às 12h, na Avenida Prudente de Morais (da Avenida do Contorno até o Banco do Brasil) e possui o apoio da Prefeitura de Belo Horizonte.
Encabeçada pela ONG Cãopartilhe, a Cãoscientização Unificada busca difundir informações acerca dos quatro principais temas da proteção aos animais: castração, guarda responsável, não abandono e proteção ambiental, no que concerne ao convívio e ao cuidado com animais silvestres. A ação visa, também, ao incentivo a atitudes que promovam uma convivência pacífica e responsável entre o homem e o animal.
De acordo com Daniela Schuchter, Vice-Presidente da Cãopartilhe, ONG que realiza desde 2007 um trabalho de resgate, cuidados e adoções de animais necessitados, além de campanhas de conscientização, a Cãoscientização Unificada visa à difusão de ações de apoio à causa animal. “O evento, ao mesmo tempo em que demonstra o trabalho de proteção aos animais, viabiliza mecanismos importantes de conscientização da população em geral. O trabalho, apesar de árduo, é gratificante”, comenta Christiane Oliveira, presidente da ONG.
As ONGs Cãopartilhe e Bichos Gerais e o grupo de proteção Matilha e Cia estarão no local apresentando seus trabalhos de voluntariado em prol da causa animal e recebendo, em seus estandes, doações como medicamentos e ração. Às 9h30, o Teatro da Fundação de Parques da PBH apresentarão a peça Guarda Responsável. Já às 10h15, a contadora de histórias Sandra Lane e o músico Vilmar de Oliveira narrarão duas histórias intercaladas por música, abordando a conscientização e a importância da proteção aos animais. Nos intervalos das atrações, a banda Trio MPB Pelos Cantos animará o público com seu repertório.
Para aqueles que quiserem vestir seus bichinhos, kits com bandanas e materiais educativos estarão à venda no local por R$ 20,00. Toda a renda será revertida às ONGs promotoras do evento, como forma de subsídio no trabalho de resgate de animais abandonados, cuidados veterinários e encaminhamentos à adoção. Haverá também dicas de profissionais da área sobre os temas selecionados, atrações artísticas e sorteio de prêmios ao final do evento. 


SERVIÇO
1ª Cãoscientização Unificada
Local: Avenida Prudente de Morais, em frente ao Carrefour, bairro Cidade Jardim.
Data 04/09/11
Horário: De 9 às 12h
Entrada gratuita
Mais informações: ONG Cãopartilhe - (31) 8785-0731
Christiane Oliveira – Presidente Cãopartilhe: (31) 8807-5344
Daniela Schuchter – Vice-presidente Cãopartilhe: (31) 8787-8906
caopartilhe@caopartilhe.com.br

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Ministério Público de SP cria grupo para investigar tortura de animais



Procuradores criminais do estado de São Paulo poderão integrar a partir de agora um grupo especializado em apurar denúncias de maus-tratos contra cães, gatos, pássaros e outros animais domésticos. A determinação está no ato normativo 704, que cria o Grupo Especial de Combate aos Crimes Ambientais e de Parcelamento Irregular do Solo Urbano (Gecap). O ato foi assinado na semana passada pelo procurador-geral de Justiça de São Paulo, Fernando Grella Vieira.

Os promotores vão atuar apoiados em leis como a 9.605/98, que trata de abuso, maus-tratos, ferimento ou mutilação de animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. A criação do Gecap permitirá ao Ministério Público atuar em representações, inquéritos policiais, procedimentos investigatórios criminais e em termos circunstanciados, assim como também nos processos criminais que envolvam a prática de crimes de parcelamento e ocupação irregular do solo urbano (Lei nº 6.766/79).

Autor da proposta, o promotor de Justiça e deputado estadual Fernando Capez afirma que a criação do Gecap é o primeiro passo na direção da criação de uma promotoria de defesa animal. "Esse grupo vai receber denúncias, representações e vai poder investigar. Nossa expectativa é de que em pouco tempo o volume de trabalho ligado à área animal acarrete a criação da promotoria", disse Capez. Segundo o parlamentar, existe demanda reprimida por esse tipo de atuação do Ministério Público em São Paulo.

Segundo Capez, o grupo deverá ter de três a cinco promotores criminais, que terão de elaborar relatórios mensais e trimestrais de atuação. O deputado afirmou que eles terão poder de investigação. E deu um exemplo de como a promotoria pode ser útil nesse caso.

"Chegou ao meu conhecimento, há 20 dias atrás: um cara colocou no site na sexta-feira que no domingo ele iria esquartejar o gato dele e colocar o filme na internet. Ele fez um torneio: esquartejo ou não esquertejo. Estava vencendo que ele devia matar o gato. Fiquei sem ação. A quem se pode recorrer? Eu fui diretamente ao Deic, delegacia de crimes cibertnéticos, e consegui que eles localizassem o sujeito", afirmou.

domingo, 17 de julho de 2011

Pretinha precisa de um lar em BH

 
Pretinha

Filhotes são alegres e brincalhões. Mas esta mocinha não tem motivos pra alegria.

Sua imagem será usada como uma bandeira, pra ensinar as pessoas que “VIDAS NÃO SÃO PRESENTES”.

Pena que alguns animais precisem sofrer pra que as pessoas se conscientizem. Não precisava ser assim, mas enquanto nossa espécie não atingir um estágio evolutivo mínimo, capaz de amar e respeitar os animais, histórias assim continuarão sendo contadas.

Esta mocinha foi dada de presente, ainda filhote, a duas crianças. O presente foi dado por uma madrinha muito bem intencionada. Achava que um amiguinho de quatro patas poderia alegrar a vida de seus afilhados.

De fato, crianças que crescem em companhia de animais, tornam-se mais felizes, mais responsáveis e mais sensíveis. Mas não basta isto. Pra receber um amiguinho assim em casa, é necessário o comprometimento de toda a família.

E neste caso, a mãe das crianças não gostava de cachorro, e não queria ter trabalho com a Pretinha.

Desde que chegou à nova casa, foi mantida permanentemente amarrada. Cresceu e trocou os dentes sem saber o que é correr. Mas a crueldade não acabou aí.

Há alguns dias, esta família decidiu se mudar, e claro, na mala não tinha lugar para a pequena Pretinha, indesejada desde o início.

A família se mudou e ela foi deixada amarada na grade da janela, junto com os jornais e revistas usados, pra que os proprietários do imóvel cuidassem de colocar no lixo, quando da limpeza do imóvel.

Mas a capacidade de esquecimento destes seres é mesmo surpreendente. Apesar da tristeza de ter perdido seus amiguinhos humanos,  e continuar amarrada na grade da janela, a Pretinha continua demonstrando afeição por humanos.

Abana o rabinho pra qualquer um que se aproxima, conhecidos ou estranhos, como se tivesse sempre tentando conquistar alguém. Ela ainda não perdeu as esperanças de uma vida melhor.

Mais que um adotante, ela precisa ser resgatada. Continua vivendo confinada ao tamanho de uma corrente curta. Dorme em um pedaço de pano fino.

Infelizmente, todos os abrigos e casas de protetores estão lotados, precisando abrigar animais que se encontram em situação de risco permanente.

No caso da Pretinha, apesar de desumana a sua condição, não lhe falta comida e água. Ela sofre, mas não corre riscos. Está melhor que muitos de sua espécie.

De qualquer forma, precisa ser adotada com urgência, por uma família que tenha espaço e vontade de dar a ela a vida que deveria ter tido desde o dia em que foi “data de presente” para pessoas tão cruéis e insensíveis.

Ela é de porte pequeno a médio, pesando em torno de 12 kilos (Tamanho de um cocker).

Tem cerca de 1 ano, é muito dócil, alegre e brincalhona. Adora crianças.

Contato para adoção: Cecília: 34172201/99721156 / Carla. 3243.9469


quarta-feira, 13 de julho de 2011

Estudo revela trauma em cães que ficam sozinhos em casa

Foto: Revista Criativa/Divulgação

Bom dia, pessoal! Passeando pela internet encontrei essa matéria interessante e resolvi postar no Blog. Quantos de nós precisa deixar os filhotes sozinhos em casa para
trabalhar, não é mesmo?

Você sofre em deixar seu amigo peludo sozinho em casa toda vez que sai para trabalhar? Bom, ele pode estar sofrendo ainda mais do que você, segundo revelou uma pesquisa feita por John Bradshaw, diretor do Instituto de Antrozoologia da Universidade de Bristol.

Bradshaw e uma equipe especializada em animais instalaram câmeras em casas de 20 donos de cães. Todos eles aparentemente ficavam felizes com a ausência dos tutores, porém depois de analisar as imagens, o pesquisador descobriu que alguns andavam em círculos e apresentavam a respiração mais ofegante.

Outro estudo realizado por Bradshaw com sete ninhadas de labradores e cinco de border collies mostrou que mais da metade dos labradores e quase a metade dos border collies exibiram sinais de desespero que duraram mais de um mês.

No livro Em Defesa dos Cães, publicado recentemente, o pesquisador conta como o seu labrador costumava roer sua cama, a mobília e o papel de parede quando ficava sozinho em casa. Segundo Bradshaw, em casos mais extremos alguns cães se automutilam.

Ficou com pena do seu amigo peludo? Não precisa entrar em desespero, John Bradshaw dá algumas dicas para ajudá-los a lidar com esse sentimento. “Os cães têm um tipo diferente de memória. Não são bons em raciocínio e não pensam que aquilo que fizeram há uma hora pode gerar uma bronca agora. Por isso não punam seus animais por danos causados quando são deixados sozinhos. Eles não entenderiam o porquê da penalidade”, diz.

Bradshaw diz ainda que a chave para tornar a situação menos sofrível para os cães é ensiná-los que ver você saindo de casa pode trazer resultados positivos. Por exemplo, você poderia voltar de surpresa antes do horário normal, mesmo que por um curto período, só para fazer um agrado. Depois, lentamente, pode aumentar o tempo de permanência fora de casa até o cachorro ser deixado sozinho o dia todo.

Fonte: Revista Criativa/ Coluna Bicharada/ Por Luciana Florence

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Filhote macho para adoção


Filhotinho macho com quase três meses. Ele é mistura de Dachshund com Pinscher e é bem brincalhão e dócil. Ficará com pequeno porte.
 (31) 9923-4078 e 9548-2574 

sábado, 2 de julho de 2011

Mais de 100 cães ganharam novos lares em Belo Horizonte

Segundo Graça Leal, da Comissão Interinstitucional de Saúde Humana na Sua Relação com os Animais, 15 cães foram adotados na VI Edição da Feira Adote Um Amigo, parceria entre Prefeitura de Belo Horizonte e ONGs da capital mineira, realizada na Praça da Liberdade, no sábado, 25. Ao todo, foram doados 135 animais nas seis edições da feira. "Animais que não estão mais nas ruas sofrendo e, agora, estão recebendo o que todo animal tem direito: alimentação, saúde e atenção".

E Graça ainda destaca: "Depende de todos nós fazer estes números aumentarem a partir de boas adoções. Continuamos conclamando voluntários para as diversas tarefas". Para ser um voluntário, acesse o blog Adoção BH e saiba como ajudar. Clique aqui.

(Texto do Bichos de Companhia ).

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Feira de Adoção no Pátio Savassi

A Aspan Sabará promoverá uma feira de adoção no Pátio Savassi nos dias 14, 15 e 16 de julho. São muitos peludos que estarão lá à espera de um amigo. Aproveite a oportunidade de encontrar o melhor amigo da sua vida. Lembre-se, a tutela consciente é o melhor presente para a natureza e a maior fonte de alegria para o adotante.

Lembre-se que a Lei n° 4591/64 e art. 554 do Código Civil garante que direito à posse de um animal de estimação.

Fonte: Blog Cães de Sabará